Programação

    A compra de ingressos é realizada somente em dinheiro, com meia entrada para idosos acima de 60 anos, estudantes e municipários. A abertura da bilheteria acontece 30 minutos antes de cada sessão e o fechamento 15 minutos após o início da sessão.  Todos os filmes exibidos na Cinemateca são legendados em português, quando houver alguma exceção, será ressaltada na divulgação.

                                                                          Confira aqui a programação completa da Cinemateca Capitólio.
     

Horários: 16:00h
Sala de Cinema

A Cidade dos Piratas

Filme com recursos de acessibilidade fechados (uso do equipamento CineAssista)
Brasil, 2018, 80', Animação
Direção: Otto Guerra

Ingressos R$16/R$8

Inspirado nos famosos quadrinhos da cartunista Laerte. A história mescla a jornada de transição da artista e do diretor, que encara a morte após ser diagnosticado com câncer. Cria-se, então, um abismo caótico entre ficção e realidade na animação mais louca de todos os tempos.

leia +
Horários: 18:00h
Sala de Cinema

Riocorrente

Brasil, 2014, 79 min
Direção: Paulo Sacramento

Ingressos R$10,00/R$5,00

Carlos (Lee Taylor), Renata (Simone Iliescu) e Marcelo (Roberto Audio) formam um triângulo amoroso contextualizado na caótica rotina de uma metrópole como São Paulo. Carlos tenta cuidar do menino Exu (Vinicius dos Anjos), mas ele passa o dia inteiro nas ruas da cidade.

leia +
Horários: 19:30h
Sala de Cinema

Diz a Ela que me viu Chorar + debate

R$ 10,00/R$5,00 (filme com recursos de acessibilidade fechados - uso do equipamento CineAssista)
2018, Brasil, 83min, Documentário
Direção: Maíra Bühler

A sessão será seguida de debate com Marcos Vinicius Maia, sociólogo formado pela PUC/SP. Militante da Craco Resiste, da Luta Antimanicomial, e trabalhador do Programa De Braços Abertos. Atuou no Hotel Social Parque Dom Pedro, onde o filme Diz a Ela que me Viu Chorar foi produzido.

O filme narra o cotidiano de moradores de um hotel social no centro de São Paulo, numa região marcada pelo uso abusivo de crack. Entre escadas circulares, quartos decorados, elevadores lotados e o som das músicas do rádio, os personagens de “Diz a ela que me viu chorar” são atravessados por amores tumultuados e pelo […]

leia +